Conheça a história de Nossa Senhora Auxiliadora



Sobre nossa Mãe

Para Nossa Senhora não é glória maior ser Mãe de Deus? É claro! Para Ela não é gloria maior ser corredentora do gênero humano? É claro! Para Ela não é glória maior ter sido concebida sem pecado original? É claro! Por que, então, Nossa Senhora Auxiliadora? Por que tanta insistência em torno desta invocação: Nossa Senhora Auxiliadora?

Compreende-se, pois Ela, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo e nossa Mãe, está permanentemente disposta a nos ajudar em tudo aquilo que nós precisamos. São Luís Maria Grignion de Montfort tem uma expressão que parece exagerada, mas que está absolutamente dentro da verdade: se houvesse no mundo uma só mãe reunindo em seu coração todas as formas e graus de ternura que todas as mães do mundo teriam por um filho único, e essa mãe tivesse um só filho para amar, ela o amaria menos do que Nossa Senhora ama a todos e cada um dos homens.

De maneira que Ela de tal modo é Mãe de cada um de nós e nos quer tanto a cada um de nós – por desvalido que seja, por desencaminhado que seja, por espiritualmente trôpego que seja – que quando qualquer homem se volta para Ela, o primeiro movimento d’Ela é um movimento de amor e de auxílio. Porque Nossa Senhora nos acompanha antes mesmo de nos voltarmos para Ela. Ela vê nossas necessidades e é por sua intercessão que nós temos a graça de nos voltarmos para Ela. Deus nos dá a graça de nos voltarmos para Ela, nós nos voltamos e a primeira pergunta d’Ela é: “Meu filho, o que queres?”

A esse título, portanto, muito especial, nós devemos repetir sempre: “Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos!” Nossa insuficiência proclama a vitória d’Ela, canta a glória d’Ela. Por isso, esta prece deve estar nos nossos lábios em todos os momentos: “Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos, rogai por nós! Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos, rogai por nós!” Rezemos, portanto, “Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos! Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos! Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos!” em todas as circunstâncias de nossa vida, e nossa vida acabará tal que, na hora de morrer, quando nós estivermos no último alento e ainda dissermos “Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos”, daí a pouco o Céu se abrirá para nós. (Monsenhor João Clá Dias, EP)

Significado

Nossa Senhora Auxiliadora ou Maria Auxiliadora é um título da Virgem Maria instituído pelo Papa Pio V, em 1571 após a incrível vitória dos cristãos sobre o poderoso exército muçulmano no Estreito de Lepanto. Os cristãos jejuaram e rezaram o Rosário durante três dias antes da batalha. O Papa Pio V fez o mesmo em Roma, junto com milhares de fiéis. No dia da batalha, os muçulmanos viram sobre seus navios a imagem de uma Senhora poderosa e iluminada. A imagem aterrorizou os invasores e estes perderam a batalha. Em agradecimento, o Papa instituiu a festa de Nossa Senhora Auxiliadora. Mais tarde, Dom Bosco foi o maior devoto e divulgador desta devoção mariana. A imagem de Nossa Senhora Auxiliadora foi confeccionada conforma a descrição dos muçulmanos presos. Ela é rica em símbolos e significados. Vamos conhece-los.

A coroa de Nossa Senhora Auxiliadora

A coroa de Nossa Senhora Auxiliadora simboliza sua realeza. Ela é Rainha por vontade de Deus. Além disso, ela é mãe. Por isso, ela tem poder para defender seus filhos daquilo que possa vir a destruir o maior bem que é possível receber: a salvação de Nosso senhor Jesus Cristo.

O manto azul de Nossa Senhora Auxiliadora

O manto azul de Nossa Senhora Auxiliadora simboliza sua origem celestial. Simboliza também a verdade. Muitos dos muçulmanos que viram a Senhora sobre os navios se converteram, percebendo que a fé cristã é verdadeira e provém do céu.

A túnica vermelha (ou rosa magenta) de Nossa Senhora Auxiliadora

A túnica de Nossa Senhora Auxiliadora simboliza o sangue de Cristo, bem como sua paixão e morte. E é pelos p merecimentos do sangue de Jesus que Maria tem o poder da intercessão e do auxílio aos cristãos. O sangue de Cristo não foi derramado em vão e defenderá os cristãos até o fim.

O cetro na mão direita de Maria Auxiliadora

O cetro na mão direita de Maria Auxiliadora é símbolo do poder real. Estando na mão direita significa que este "poder de intercessão" da Mãe, está sendo usado em nosso favor, como o foi no dia da batalha de Lepanto. A cruz na extremidade superior do cetro significa que o poder de Maria não provém dela, mas sim da cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo. Confiemos no poder de intercessão nossa Mãe, Rainha e Auxiliadora.

A coroa do Menino Jesus

A coroa do Menino Jesus simboliza também sua realeza. É a realeza da bondade, da misericórdia, do amor e do perdão. Mas, também, de defesa dos fiéis contra o mal.

A túnica amarela do Menino Jesus

A túnica amarela do Menino Jesus simboliza a luz e a divindade. Sendo Deus, este "Menino" é fonte de luz. É ele quem vem nos trazer a luz da verdade e do Deus verdadeiro.

O manto vermelho do Menino Jesus

O manto vermelho do Menino Jesus é um anuncio de sua Paixão, que se repete todos os dias no sacrifício da santa missa. O vermelho simboliza o sangue e o sofrimento de Jesus Cristo, que salvarão a humanidade.

Alguns relatos marcantes na devoção

Maria Auxiliadora ganhou a invocação de Nossa Senhora Auxiliadora ou Auxílio dos Cristãos é uma invocação instituída pelo Papa Pio V no ano de 1571, após a grande vitória dos cristãos sobre o exército muçulmano no estreito de Lepanto, que era a porta de entrada para a Europa.

Situação dramática

Nos anos anteriores os turcos muçulmanos, conhecidos e temidos como o Império Otomano, estavam prestes a invadir a Europa através do Estreito de Lepanto. Ali-Pachá, o grande líder otomano, vinha deixando um rastro de destruição do cristianismo por onde passava: igrejas incendiadas, religiosos assassinados, crianças e mulheres violentadas e cidades inteiras destruídas pelo simples fato de serem cristãs.

A Igreja Católica, por sua vez, passava por um momento difícil com o início do protestantismo e divisões dentro da Europa. Esse ambiente tornava a Europa cristã frágil diante do poder do exército otomano. Depois de um grande esforço, o Papa Pio V conseguiu unir novamente a Europa em vista do ideal de defender a vida e a fé do povo. Os defensores da Europa formaram uma esquadra com 208 navios e cerca de 80 mil soldados, liderados por D. João da Áustria. Mas os otomanos tinham 286 navios e mais de 120 mil soldados. Dentre estes, mais de 12 mil eram cristãos escravizados que remavam os navios.

A preparação dos soldados

Todos os soldados católicos, sob as ordens de D. João da Áustria, confessaram-se, jejuaram e rezaram o Rosário durante três dias. Depois disso, começou a maior batalha naval de todos os tempos, no dia 7 de outubro de 1571.

Um auxílio do céu: Maria Auxiliadora

Os otomanos começaram vencendo. Após 10 horas de um combate sangrento, os soldados cristãos começaram a temer a derrota, que traria consequências horríveis para a Civilização Cristã. De repente, porém, ficaram surpresos ao verem os otomanos, apavorados, bateram em retirada. Então, a batalha, que parecia perdida, se transformou em vitória.

Vitória documentada

Ao final, os otomanos perderam 224 navios, 130 dos quais capturados e mais de 90 afundados ou incendiados. Além disso, quase 9.000 otomanos foram presos e 25.000 pereceram. As perdas católicas foram bem menores: cerca de 8.000 homens e 17 navios.

Mais tarde alguns otomanos presos confessaram que uma brilhante e majestosa Senhora tinha aparecido no céu fazendo ameaças e causando tanto pavor a eles, que começaram a fugir. Tudo está documentado nas atas de cada navio.

Vitória pela oração a Maria Auxiliadora.

Um pouco mais de tempo e os soldados ficaram sabendo que enquanto acontecia a batalha em Lepanto, os cristãos em Roma, liderados pelo Papa Pio V, não cessavam de rezar o Rosário de Nossa Senhora. Em todas as Igrejas fizeram procissões, jejuns e orações na intenção de proteger e abençoar os soldados cristãos. Souberam também que, no começo da vitória cristã em Lepanto, o Papa Pio V teve uma visão através da qual ficou sabendo da vitória dos soldados de Cristo. A vitória foi confirmada duas semanas depois pelo correio da época.

Nossa Senhora Auxiliadora, a grande Intercessora

Em agradecimento à maravilhosa intervenção de Maria, o Papa introduziu a invocação Auxílio dos Cristãos na Ladainha de Nossa Senhora. Daí o título de Nossa Senhora Auxiliadora e também Maria Auxiliadora.

Dom Bosco: grande divulgador de Maria Auxiliadora

A devoção a Nossa Senhora Auxiliadora, porém, se popularizou ainda mais no ano de 1862, com as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto para uma criança de cinco anos. Nesse ano, Dom Bosco, tocado pela história das aparições, iniciou em Turim a construção de uma grande Basílica, dedicada a Nossa Senhora Auxiliadora. A partir desse momento, Dom Bosco será o maior devoto e divulgador da devoção a Nossa Senhora Auxiliadora.

Para eternizar seu amor e gratidão para com Nossa Senhora, Dom Bosco, juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fundou a Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora.

Ele dizia: Nossa Senhora deseja que a veneremos com o título de Auxiliadora: vivemos em tempos difíceis e necessitamos que a Santíssima Virgem nos ajude a conservar e defender a fé cristã.

A partir de então, a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora cresceu. O Papa Pio IX fundou uma Arquiconfraria em devoção a ela no Santuário de Turim, em 5 de abril de 1870. O Papa enriqueceu esta confraria de muitas indulgências e favores espirituais. No dia 17 de maio de 1903, por decreto do Papa Leão XIII, foi solenemente coroada a imagem de Maria Auxiliadora, que se venera no Santuário de Turim.

Devoção à Maria Auxiliadora e o seu poder

Por tudo isso, a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora torna-se uma grande bênção para todos aqueles que a procuram, principalmente nos momentos mais difíceis, nas batalhas da vida, nas guerras, na luta contra o mal e nos momentos de angústia. A oração do Rosário acompanhada da invocação a Nossa Senhora Auxiliadora tem feito maravilhas na vida de muitos cristãos ao longo de séculos e continuará fazendo a todos aqueles que a invocarem com fé, esperança e amor.

Maria Auxiliadora, Nossa Senhora Auxiliadora e Protetora do lar

Pelas graças alcançadas, Maria Auxiliadora passou ser chamada também de A Protetora do Lar. Milhares de pessoas testemunham graças alcançadas através da sua intercessão, protegendo as casas contra tragédias, catástrofes, guerras e ajudando nos problemas de família, nas dificuldades domésticas, nas batalhas da vida.

Nossa Senhora Auxiliadora, Rogaí por nós!

#maria #nossasenhoraauxiliadora #lepanto #catolicos #papapioV

Movimento dos Filhos da Santíssima Virgem Auxiliadora

Av. São João Batista  S/N  - Conj. Castelo Branco - Aracaju/SE 

+55 (79) 3021-6960

Todos direitos reservados                Movimento Auxilia - 2020